segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Um dia escrevo um livro!

Hoje meu carro pegou fogo enquanto eu dirigia. Sim, se não tivesse acontecido comigo mesma, eu também não acreditaria. Nada aconteceu comigo. Sou ótima sob pressão. Parei num cruzamento e senti um cheiro estranho. Pra prevenir, parei no acostamento (mesmo achando que não fosse nada, pois o carro tava funcionando normalmente e a temperatura do motor marcava como normal). Quando desliguei o carro escutei do outro lado da rua um senhor gritando "Fogo! Sai do carro! Corre!". Nessa hora comecei a ver muita fumaça vindo do capô. Liberei o capô, liberei o porta malas, guardei minhas coisas na bolsa (deuzolivre perder meu celular que nem terminei de pagar), peguei o extintor, fechei o registro do gás (tudo isso enquanto o carro estava em chamas) e comecei a apagar o fogo, que vinha do motor. Por sorte tinha uma viatura bem atrás de mim e eles pegaram o próprio extintor da viatura e me ajudaram. Não entendi direito o que aconteceu que causou o fogo, mas o mecânico disse que pode acontecer com qualquer carro, novo ou não, mas é raro. Me disseram que se eu não tivesse parado quando parei, podia ter explodido, mas não acredito. 

Muita gente vive a vida inteira sem grandes acontecimentos. Casam, tem filhos, e só. Porém na minha família, olha... já teve muita morte, quase-morte, acidente, doença, assalto, agressão, roubo, levar tiro, ser ameaçado de morte, gente nos processando sem razão(e ganhando), drogado entrando na nossa casa no meio da noite com a gente dormindo, gente nos passando a perna, carro batido, fdp me cortando a frente a 120km/h, caminhão me jogando pro mato, carro pegando fogo, abuso sexual(um dia crio coragem pra escrever sobre isso)... Dá pra escrever um livro, um filme e ainda com continuação.. Tudo o que dá pra imaginar já aconteceu com a gente. Mas ganhar na loto que é bom, nada, óbvio.

Pelo menos agora posso dizer a frase "já dirigi um carro em chamas". Olha que foda. 

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Autodestruição

Parei de fumar e de me cortar fazem anos, porém a necessidade subconsciente de autodestruição ainda é muito presente. Tenho que tomar vários remédios por dia - 3 pelos cistos nos ovarios, 3 pro cabelo(pra quem não sabe, tenho MUITA queda de cabelo), antialergico, vitamina, colágeno e anticoncepcional -, e advinhem: não tomo nenhum fazem meses, mais ou menos desde fevereiro. Por preguiça, por esquecimento, por qualquer desculpa que eu arranje. Eu deveria ir na gineco a cada 6 meses e vai fazer um ano que não vou. Nem quero imaginar o estado dos meus ovários. Ela me disse pra cortar o gluten, ainda não cortei. Também não posso tomar leite nem corantes, consumo mesmo assim. Acima de tudo isso ainda tenho meus problemas alimentares(compulsão alimentar periódica ou restrição) e mentais(depressão, auto imagem, etc). (E ainda tenho vacinas atrasadas). Pra que se cortar se posso me autodestruir só não cuidando de mim mesma?

sábado, 14 de novembro de 2015

14 de novembro de 2015.

Não sei porque, eu tenho um certo tipo de vínculo emocional com a dieta ABC. Eu to sempre começando e recomeçando ela, sempre imaginando na minha cabeça que essa é a dieta que iria mudar minha vida, que iria retomar meu controle, que iria me fazer eliminar rios de kgs e o ponta-pé pra que eu comece uma vida magrinha e feliz. E a cada vez que eu falho a dieta, um sentimento de fracasso me domina e a depressão retoma o controle. Outras dietas, como a das frutas e a líquida, são muito mais fáceis e trazem resultados muito mais rápidos que ABC, mas não sei porque, eu insisti tanto nela e fico me auto-sabotando. Ultimamente não tenho conseguido iniciar outra dieta que não seja essa, pois continuo imaginando que essa é a dieta que mudará minha vida. Minha mente tá como se fosse um disco arranhado que tá trancado numa faixa e não sai mais dela. Continuo iniciando a dieta, fazendo ela por uma semana, falhando, me sentindo uma bosta, e a recomeçando. Tenho que tirar ela da minha cabeça e fazer outras, ou simplesmente fazer lf, porque nesse ciclo eu não emagreço, a depressão só aumenta, meu amor-próprio já tá lá no fundo do poço e não faço nada pra mudar isso. 

Vou tentar ser mais ativa e mais sincera aqui no blog. Escrever como se fosse um diário. Eu tenho dificuldade em expressar o que sinto(sendo que em 95% do tempo eu sou como um robô, sem sentimentos, numb) e não quero mais ser assim. O que vier à cabeça eu vou escrever, por mais estranho ou ridículo que seja. 

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

E o troféu de impulsividade vai para...

Impulsividade pra tudo: pra comida, pra compras, pra livros, pra séries, pra roupas, pra gastar dinheiro, pra tudo. Perdi o autocontrole de um jeito que olha... não sei o que fazer. Já usei todos os meus truques mas nada tá adiantando. Tem dias que to no fundo do poço com a depressão, pensando em qual o melhor jeito de terminar minha vida, e tem dias (mais raros) que eu to numa alegria surreal que não dá pra acreditar. 

Conversando com minha mãe (sobre minha falta de vontade pra vida, porém não mencionando a depressão nem meus problemas alimentares) concordamos que o melhor pra mim é consultar um psiquiatra. Nunca fui em um. Minha mãe pensa que meus problemas são por causa da morte do meu pai(mesmo eu já tendo depressão e t.a. antes dele morrer), e considera-os normal.

Durante esses meses que fiquei longe do blog (porém estou sempre ativa no face e no twitter, me adicionem) iniciei a abc várias vezes, geralmente faço a primeira semana certinho e depois caio em compulsão. Raiva de mim mesma! Pensando em reiniciar a dieta amanhã, dia 12, que daí ela terminaria exatamente dia 31 de dezembro(assim entrarei no ano novo com o pé direito, mais magra e com auto-controle!), porém com certeza seria difícil passar o natal com 200kcal. Difícil, mas não impossível. 

Tentarei atualizar mais vezes o blog, não deixá-lo parado por tanto tempo. Sinto falta daqui. 

keep strong!